terça-feira, Janeiro 18, 2011

Coimbra é uma lição - Obrigado Ricardo

Diz a música que Coimbra é uma lição e assim o é efectivamente, para quem lá passa.
Mas Coimbra é muito mais do que isto, é sinónimo de amor e amizade... Se de amor podemos falar noutra altura... o certo é que a amizade é algo natural que desenvolvemos com aqueles que connosco partilham bons e maus momentos. O que era o teu caso Ricardo...
Se a música diz que Coimbra é uma lição, o certo é que é a vida que é mesmo uma lição para todos nós... e, no teu caso, que partiste sem nos avisar e sem ser avisado... podemos dizer que a vida pode ser injusta e muito ingrata...
Fui hoje apanhado de surpresa e confesso que não estava preparado... mas quem está?!
Junto fizemos o estágio, fomos às aulinhas (quase) todas da Ordem... fizemos os exames iniciais e fizemos a agregação.. Fizemos tudo à primeira para que não restassem dúvidas, com espírito de equipa e entreajuda... partilhamos dúvidas, ensinaste-me coisas... trocamos impressões sobre a nossa profissão e qual seria o nosso futuro..
Tu tinhas muitos projectos, ao nível académico e profissional... sonhavas alto e agora!?
Bem sei que não vale de nada o que eu aqui escrever... Aliás, há muita coiosa que gostava de te dizer e que gostava de ter dito, mas também não será aqui que o farei.... guardarei para quando puder partilhar contigo...
Obrigado pelo teu exemplo e amizade... o jantar que querias combinar para rever amigos terá que ser cancelado.. porque não faz sentido que não possas estar presente....

sábado, Janeiro 15, 2011

Registem este nome: Frei Fernando Ventura

A vida vai-nos dando algumas boas surpresas. Nunca esperei que uma simples conferência no âmbito das Festas de Santo Amaro sobre um tema tão caro como a solidariedade, numa quinta-feira à noite, num teatro-cine da nossa cidade, fosse tão significativa para mim.
Mas o certo é que não tinha o grato prazer de conhecer o Frei Fernando Ventura e fiquei profundamente entusiasmado com as sábias palavras e com a qualidade do palestrante.
Uma visão real e coerente que não poupa críticas àqueles que usam as suas funções com autoridade e sem humildade, sejam eles políticos, padres ou outros destacados da sociedade civil. É preciso praticar a solidariedade e fazermos felizes os outros. É preciso dizer às pessoas que gostamos delas. É preciso darmo-nos ao próximo. Precisamos de construir uma sociedade mais justa e solidária.
Nesta altura da minha vida, algumas palavras entraram em mim como flechas... Apetece-me dizer gosto de ti, aliás, gosto muito de ti... esta semana disse-o com alguma frontalidade... Quero mais...
Cá estarei, na minha vida, esperando pelos momentos em que nos possamos envolver mais... é preciso dar para poder receber...
Obrigado Frei Ventura pelas suas palavras que vieram no momento certo, com uma precisão altamente destrutiva e com um impacto fortissimo...
BP dizia que a felicidade é podermos fazer os outros felizes - é este o meu lema de vida e assim continuarei.. agora com mais uma referência que de repente se irrompeu no meu percurso...
...
(nota: Fica o desafio para que participem nesta causa http://www.5cent.org/)
Fernando Ventura nasceu em Matosinhos. É licenciado em teologia pela Universidade católica Portuguesa e licenciado em Ciências Bíblicas pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma, tendo sido professor da Sagrada Escritura no Instituto Superior de Ciências Religiosas de Aveiro. No âmbito do movimento de difusão bíblica promoveu encontros nos cinco continentes e colabora como tradutor e intérprete para vários organismos internacionais, entre os quais a Ordem dos Capuchinhos, a Comissão Teológica Internacional no Vaticano, o Conselho Internacional da Ordem Franciscana Secular, a federação Bíblica Mundial e ainda algumas ONG. Tem publicado vários artigos de temática bíblica. em Portugal e no estrangeiro, e é autor do primeiro estudo de sobre Maria no Islamismo bem como de um estudo exegético sobre o capítulo 21 do Apocalipse.

terça-feira, Janeiro 11, 2011

Altura de decidir...

Encontro com jovens Empresários em Leiria Jovens EmpresariosEstamos em plena campanha para as Presidenciais. Infelizmente, em vez de falarmos dos rumos que o País deve seguir e dos contributos que cada um, em cada área de actividade, deve dar para esse mesmo fim, entretemo-nos mais a discutir atitudes e comportamentos.. mas enfim... o certo é que uma das discussões que deveríamos ter, passaria por analisarmos à séria o papel do Presidente da República na nossa arquitectura democrática e quais deveriam ser (ou não) as suas funções. É o próprio sistema político que está em causa e que tantas vezes já foi questionado (fora da campanha) e que até agora ninguém ousou abordar. Funções presidenciais à parte, agora o tempo é de, com os poderes estatuídos na nossa Constituição, eleger o candidato que achamos que tem o melhor perfil e mais capacidade para exercer as competências de Presidente da República.
Respeito aqueles que, por intermédio do voto em branco, revelam a sua insatisfação  face às escolhas disponiveis, no entanto, recuso aqueles que se refugiam no "comodismo" da abstenção.
Eu próprio, apesar de no decurso do mandato do actual Presidente da República, não concordar com algumas das suas decisões, revejo nele uma imagem de responsabilidade e credibilidade que, infelizemnte, não revejo em muitos outros destacados actores políticos no panorama nacional.
De todos os candidatos presentes e reitero a minha confessa simpatia pelo Dr Fernando Nobre, que tive oportunidade de conhecer pessoalmente e de partilhar consigo algumas ideias muito interessantes na área da solidariedade social, o certo é que, convictamente considero que o Professor Cavaco Silva é o candidato que mais garantias me dá para ocupar o lugar de mais alto magistrado na Nação, num momento em que Portugal precisa de muita seriedade, credibilidade e sentido de responsabilidade da nossa classe política.
Uma palavra também para o envolvimento da Juventude. O Professor Cavaco Silva tem abordado muito as problemáticas enfrentadas pelos jovens, nomeadamente, no domínio do emprego e do empreendedorismo e na autonomia e emancipação juvenil. Espero, sinceramente, que estas palavras (em todos os discursos os jovens fazem parte da mensagem principal) e acções (em Leiria juntaram-se dezenas de investigadores e jovens empresários com realidades muito específicas e altamente interessantes) tenham consequência futura e que o Professor consiga exercer a sua magistratura de influência para que as matérias relacionadas com a Juventude estejam sempre na ordem do dia e se encontrem soluções rápidas para atacar/combater situações dramáticas como, por exemplo, o galopante desemprego jovem.
Faço-o por convicção, sabendo que, com a sua eleição, ele não vai ser mais condescendente com este ou aquele Partido. Enganem-se alguns, porque tenho a certeza que não irá favorecer os partidos que lhe dão apoio oficial (PSD e CDS), nem estes podem esperar por isso.
Faço-o porque gosto de assumir o meu dever cívico e tomar posição. Faço-o porque acredito nas suas qualidades e no seu conhecimento para ajudar o país a levantar-se da actual crise em que estamos mergulhados... Faço-o porque gosto muito do meu país (agora com o Mourinho a assumi-lo também é mais fácil para todos eheh) e acredito que com os melhores podemos sair da crise económico-social profunda que enfrentamos.

terça-feira, Janeiro 04, 2011

Novo grupo em perspectiva!!!


Personalize funny videos and birthday eCards at JibJab!

Num ano em que vamos sentir na pele e no bolso as dificuldades dos tempos que se avizinham, nada melhor do que esta surpresa feita por um amigo, que nos dá alguma boa-disposição para enfrentarmos as dificuldades que aí vêm. Não se riam por favor!!! Mas já agora, façam favor de serem felizes!!!

quinta-feira, Dezembro 30, 2010

2011 - Sorte ou azar?!!


Estamos a poucos passos de entrar num ano novo. Os dados estão lançados e o próximo ano, dadas as incertezas que pairam no ar, poderá ser um jogo, ou uma espécie de lotaria.
O ano começa com eleições presidenciais. Parece que é uma das poucas das certezas que temos, porque daí para a frente, tudo está no plano da indefinição e nem o Professor Marcelo poderá, com a sua astúcia habitual, perspectivar os cenários mais prováveis de se verificarem.
Triste é saber que a falta de emprego qualificado entre os jovens vai aumentando e que a sociedade cria cada vez mais entraves aos jovens para poderem afirmar os seus projectos de vida e... infelizmente, muitos são obrigados a seguir (pessoal e profissionalmente) caminhos que não tinham traçado...
Mas esta é uma altura, mais uma vez, de promover resoluções. É altura de fazer a avaliação do nosso percurso e de preparação do caminho a seguir. Voltamos a analisar se o caminho que escolhemos é o melhor e ponderamos se os passos a dar são os mais correctos. Hesitamos, como em tudo, nunca temos a certeza de nada. No entanto, existe sempre uma esperança de que algo vai mudar porque não pode ser sempre assim. É essa esperança que temos que possuir nestes dias, nem que para tal, tenhamos que emendar o caminho traçado e escolhermos outra estrada...
O próximo ano reserva-nos, de certeza, muitas surpresas. Virá ou não virá o FMI?! Continuará Sócrates à frente da governação?! Aguentarão os portugueses o forte impacto (no bolso) da austeridade? Aturarão os portugueses os erros cometidos em prejuízo das gerações futuras?! Conseguirá o país inverter a linha decrescente da economia e crescente do défice?! Estaremos nós (todos) à altura de unirmos esforços para ajudar o país e salvar Portugal de uma catástrofe social que muitos anunciam?!
Ou será que damos uma volta muito grande a isto tudo e conseguimos afirmar os nossos produtos, aumentar as exportações, qualificar os nossos recursos humanos, aumentar as ofertas profissionais e salvar a economia?
Ninguém sabe ao certo no que isto vai dar. Por isso, o ano de 2011 será um ano de sorte ou azar!?